in

O Dia do Folclore

Dia 22 de Agosto é dia do Folclore! Oficializada pelo Congresso Brasileiro em 1965, a criação da data é uma forma de homenagear e fortalecer a cultura popular brasileira e suas tradições. Formado por lendas, mitos, danças e brincadeiras típicas, o folclore brasileiro faz parte da nossa identidade e está enraizado em nossa história.

Como surgiu o Dia do Folclore?

O Dia do Folclore não é exclusividade do Brasil. Já em 1846, um arqueólogo inglês chamado William John Thoms começou a estudar as lendas e tradições culturais da Inglaterra. Para isso, o arqueólogo enviou uma carta a uma revista londrina, pedindo sua ajuda.

A carta foi publicada no dia 22 de Agosto, e daí surgiu a data comemorativa do folclore. Aliás, a palavra folclore também vem do inglês antigo, que significa “cultura do povo” (“folk” significa povo e “lore” cultura, conhecimento)

Folclore brasileiro: nossa identidade cultural

O nosso folclore surgiu a partir de uma mistura de culturas e povos. Indígenas, africanos e portugueses moldaram e transmitiram as lendas, mitos e tradições que cercam a cultura brasileira.

Muitas dessas histórias que foram contadas e passadas de geração para geração são, na verdade, uma forma de ensinar aos mais novos lições importantes – mesmo que, às vezes, através do medo ou de exemplos do que não se deve fazer. É o caso da história da Mula Sem Cabeça, uma mulher que por causa de seus pecados foi castigada pela mãe natureza que a transformou em um monstro.

Gostinho de infância: relembre os folclores mais conhecidos

Muitos de nós crescemos ouvindo as histórias fantásticas de humanos que se transformavam em animais, de meninos travessos que viviam nas florestas e de monstros que se escondiam no escuro. Que tal abrir o baú das memórias e resgatar essas histórias que remetem à infância?

Saci Pererê: quem é que nunca ouviu falar do menino travesso de uma perna só? Um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro, o Saci é um menino negro que anda por aí, fumando seu cachimbo e exibindo sua personalidade alegre e divertida.

Boitatá: o monstro em forma de cobra e com os olhos brilhantes como fogo já foi motivo de medo. Conhecido por perseguir viajantes e vagar pela noite, o Boitatá, segundo a lenda, ficou escondido em um buraco para sobreviver a um dilúvio. Dizem que ele ficou tanto tempo escondido que seus olhos cresceram para que se acostumasse a enxergar no escuro.

Curupira: protetor das matas e dos animais, o Curupira é um menino de cabelos compridos e pés virados para trás. Dizem que seus pés ao contrário são para que ele possa despistar e confundir os caçadores que invadem sua mata.

Boto-Rosa: segundo a história, os botos da Amazônia se transformavam em homens bonitos durante à noite, saindo dos rios e indo para a cidade atrair moças jovens. Depois de conquistá-las, o boto as engravidava e desaparecia na manhã seguinte. Essa lenda amazônica era contada pelas mães das moças, com o intuito de assustar as jovens para que não flertassem com homens nas festas da cidade.

O que você achou?

Publicado por O Postador

Trago novidades todas as segundas e quartas. Fora isso, os conteúdos são de autores convidados. Entre em contato para publicar o seu conteúdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

GIPHY App Key not set. Please check settings

Jornalista Fail

Dia do Jornalista

Sinais de traição

05 sinais que seu marido ou sua esposa está te traindo