in

7 canais de YouTube para quem quer fazer transição capilar

O procedimento não é simples e a insegurança é algo frequente para quem passa por ele, mas tem muita gente boa por aí disposta a te ajudar nesta missão.

transição capilar

É muito comum que mulheres de cabelos crespos, cacheados ou ondulados queiram alisá-los em algum momento da vida pelas mais diversas razões. No entanto, cada vez mais elas estão optando por deixar as suas madeixas ao natural, principalmente as brasileiras, que enxergam na transição capilar um processo libertador.

Esta é marcada por representar uma virada de chave na vida de muita gente por redefinir a identidade de uma pessoa. Por outro lado, também é um momento de reconstrução da autoestima, o que pode ser doloroso num primeiro momento, já que é preciso deixar o cabelo com um aspecto bastante diferente ao que se está acostumado.

Quem consegue finalizar todo o processo ganha para si uma verdadeira coroa que, assim como um mix de joias e semijoias bem escolhidas, que pode fazer toda a diferença. Mas se você está passando por esse momento e precisa de apoio, separamos sete canais no Youtube de brasileiras que abordam este temas com as suas seguidoras e podem te ajudar. São elas:

1. Rayza Nicácio

“Ray”, como é chamada pelos quase 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais, começou sua carreira de influencer no YouTube lá em 2009 e ficou conhecida por produzir conteúdos sobre transição capilar, com dicas de como cuidar do cabelo natural e também de aceitação desse processo, abordando as principais inseguranças que podem afetar quem opta pela transição.

Rayza, que já foi criticada por eventualmente acabar alisando seus cabelos, defende que “toda mulher deve ter a liberdade de usar e experimentar com sua beleza da maneira que desejar”.

2. Gill Vianna

Criadora de conteúdo há cerca de dez anos, Gill fala sobre uma grande variedade de temas que envolvem a transição capilar, como a hidratação dos cachos, dando também dicas de penteados, tinturas e de cuidados que se deve ter com o cabelo durante uma viagem.

Gil, que hoje incentiva outras mulheres a passarem pelas etapas mais difíceis deste processo, reconheceu que foi muito difícil aceitar que seu cabelo “já não era mais o mesmo”. Por outro lado, ela conta que, quando a transição capilar chegou ao fim, disse que “foi uma das coisas mais libertadoras que já fez”.

3. Camilla Santana

O legal do vlog da Camilla é que ela recentemente foi criando ao longo dos meses uma linha do tempo com um acompanhamento detalhado de como o seu cabelo foi mudando ao passo em que ela o deixava crescer. Afinal, os seus mais de meio milhão de inscritos no YouTube querem muito saber o que ela faz para manter esse cacheado maravilhoso.

Entre os toques que ela dá, destacam-se a frequência da hidratação, a maneira de secar (e a toalha que será usada), a forma de pentear, além de dicas de tratamentos como a umectação; técnica que procura dar força e nutrir o cabelo por meio da aplicação de óleos vegetais.

4. Yuli Balzak

As alternativas encontradas para manter os cabelos bonitos evitando o uso de muitos produtos químicos foram alguns dos fatores que tornaram Yuli Balzak conhecida do público brasileiro, além de suas dicas de moda e viagens.

A blogueira é famosa pelos seus cachos bem volumosos e descoloridos na ponta, e sempre comenta em seus vídeos como faz para cuidar deles em situações variadas, além de, claro, procurar transmitir muita confiança para quem pretende largar a química para assumir os cabelos naturais.

5. Amanda Mendes

Em seu canal “Tô de Crespa”, Amanda até convida os fãs a se arrumarem junto com ela durante seus vídeos. Ela concluiu a transição capilar no ano de 2016, quando realizou o chamado big chop, que é o último corte que retira a parte dos fios do cabelo que ainda têm a química do alisamento.

O seu conteúdo defende que assumir o cabelo natural não é só uma tendência de moda, mas sim uma questão de empoderamento e resistência, que está definindo novos padrões de beleza.

6. Ana Lídia Lopes

Mineira de Unaí e defensora dos cabelos cacheados, Ana começou a criar conteúdo sobre beleza e autoestima ainda menor de idade. Mesmo nova, ela não deixa de abordar assuntos pessoais ou mais delicados com o intuito de ajudar quem a acompanha. A influencer possui 1,3 milhão de seguidores no Instagram, fruto de seu trabalho na internet realizado desde 2012.

7. Dani Azevedo

Dani já admitiu em seus vídeos que entende perfeitamente quando suas seguidoras parecem não aguentar mais a fase de transição, passando por um momento de muita insegurança e baixa autoestima, que pode culminar muitas vezes em desistência.

Para essas mulheres, ela lembra que, quando passou por essa fase dez anos atrás, não havia tantos produtos disponíveis no mercado para o seu cabelo, e as informações compartilhadas na internet eram muito mais escassas. É bem verdade que a diferença de textura – quando uma parte do cabelo está lisa e a outra não – é um fator que incomoda muito, mas que, com processos de texturização, atualmente é possível deixar o cabelo mais uniforme.

Conforme isso vai acontecendo, inclusive, todos notam a diferença. “A opinião dos outros costuma mudar quando a fase de transição acaba. As mesmas pessoas que falavam para eu alisar, ou que diziam que preferiam anteriormente, são as mesmas que hoje elogiam meus cachos e falam que eles estão maravilhosos”, garante a youtuber.

O que você achou?

Publicado por O Postador

Trago novidades todas as segundas e quartas. Fora isso, os conteúdos são de autores convidados. Entre em contato para publicar o seu conteúdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

GIPHY App Key not set. Please check settings

Sinais de traição

05 sinais que seu marido ou sua esposa está te traindo

Receita que não deu certo

4 truques para você salvar aquela receita que não vai dando certo